segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Bacamarte

Imóvel em teu leito
de brancas flores e enfeites
agora deitado vejo-te
queria poder mostrar-te
a beleza d`aqui de fora
dos verdes mares
das brancas serras
de luzes muito intensas
sei que já não pensas
vives em nuvens densas
mas queria sentisses a brisa
e o vento que desliza
ao descer a ribanceira
que visses hibiscos a florescer
no caminho pra cachoeira.
Da vida estás à parte
acostumado à penumbra
imoto esquálido bacamarte
não sabes do teu redor
não vislumbras qualquer cor
nem te lembras do sol
mas queria que visses a luz
que soubesses o que é amar
mas temo que ao despertar
ao te mostrar a luz solar
digas mais uma vez
que estou a te apunhalar

3 comentários:

aventurismo-ma disse...

muito lindo, sua palavras retratam sua personalidade, apesar de nao nos conhecermos acho assim.bjos

aventurismo-ma disse...

muito bom, suas palavras retra\tam sua personialidade.parabens!!

MJCorrea. disse...

A imaginação a serviço da realidade, meu caro amigo.
Obrigada, de qualquer sorte.
Abraços.