quinta-feira, 4 de junho de 2009

Aos que me enviaram e-mail sobre as postagens neste espaço:

Tenho consciência de que não satisfaço aos padrões mais reconhecidos ou desejados pela grande maioria dos seres humanos, assim como me reservo no direito de valorar características e eleger arquétipos que nem sempre correspondem à preferência dos outros.

Tenho, assim, absoluta consciência de que não estou entre as pessoas mais inteligentes, as mais requintadas, as mais belas, as mais ricas, as mais preparadas, as mais puras, as mais meigas, as mais...as mais...

Contudo, quer inserida no contexto em que me ponho e me sinto, quer naquele em que eventualmente me vejam ou me entendam, posso ter na palavra, sob todos os aspectos em que possa dela fazer uso, um mecanismo hábil para, sem receios, levar adiante minhas idéias e pensamentos, ciente da probabilidade de interpretações as mais variadas, as quais não estão sob meu controle e resultarão do entendimento e da sensibilidade de cada leitor.

A mim, me comprazo tão-somente em deixar falarem a consciência e a alma, despretensiosamente, embora ouça o eco do silêncio daqueles que bradam comigo.

De fato, entendo que a percepção de estarmos vivos e de que em cada momento reside uma possibilidade de transformação e recomeço nos assegura a certeza de que a propalada infelicidade é uma incongruência. Mesmo quando a cognominada felicidade consista na luta ingrata e incessante contra as mazelas e as desigualdades mais tenazes.

Parafraseando Chaplin, a vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Urge que se a viva.
Que vivamos intensamente, pois, cada ato. Aos brados, se preciso for, antes que a luz se apague e, no camarim, refujam respostas aos que perguntarem: Qual era o teu palco? Por que te acomodaste? Por que não lutaste? Por que não choraste? Onde estava teu grito? Por que calaste tua voz? Que farás com os desvalidos de ti?
E assim... se feche a cortina, sem que se ouça qualquer aplauso.

4 comentários:

Érik Diniz disse...

??

MJCorrea. disse...

Não me refiro aos comentários feitos nas postagens. Obrigada.

Bianca disse...

"Tenho, assim, absoluta consciência de que não estou entre as pessoas mais inteligentes, as mais requintadas, as mais belas, as mais ricas, as mais preparadas, as mais puras, as mais meigas, as mais...as mais..."

DISCORDO veementemente! Está sim, entre as MAIS MAIS!

MJCorrea. disse...

Bia. Além das tantas outras virtudes reconhecida, você é especialmente generosa. Obrigada.
Beijão