quinta-feira, 28 de maio de 2009

BBEricar

Na clara noite
d`um dia de cruz
no zoar do teclar
sem me aperceber tava aqui

de distraída, te vi.
não acreditei no que ouvi
por desafio insisti.

soar de riso
verbo de troça
riso de graça de Deus mercê

será que eu já te vi?
de onde te pressenti?
o que se pode esperar?
por onde se pode andar?

pouco ou mais quase ou tudo
um tempo
um contratempo
lá se onde vai

bem cá nós dois estamos
mais longe já chegando
muito mais buscando
sem mais nada saber
tudo a apetecer
tanto há a se conhecer

Querer tudo viver
do mais tudo esquecer
Será que eu te encontrei?
será que eu te busquei?
será que eu me perdi?
onde é que se deve ir?

Eu te levo pra cá
tu me trazes pra lá
um dia pra se ir
mais um pra se chegar
a vida toda num agora

um depois pra se alcançar
se mais pra lá se vai
se lá se está se quis
e o mar em que se está
é cá o lugar feliz.

Um comentário:

Erik disse...

Que poema lindo!!!