domingo, 3 de maio de 2009

Comunicado a Jesus Cristo

Eu te comunico Jesus Cristo
que aqui é o Estado que mais mata
o homem
mas não a fome
que este campo de azulejos
é um campo de desovas
onde as flores e seus filhos
se retorcem de tanta dor.

Eu te comunico Jesus Cristo
que há tempos Deus é esquecido aqui
onde as crianças nascem enfurecidas
pela falta de atenção
pelos excessos da fome
e pela dor do parto
que aqui é sempre parto
não importa se nasceu.

Eu te comunico Jesus Cristo
que os pistoleiros tomam o paraíso
e os lavradores plantam no espaço
suas lavouras de nuvens
que a terra de tão sofrida já rejeita
que a semente não mais aceita
a terra não é mais dos homens
nem mais o homem é da terra.

Eu te comunico Jesus Cristo
homens, mulheres e crianças
disputando com os vermes
um lugar onde morar
palafitas de horror
calcificando a miséria
em tons de dó maior.

Eu te comunico Jesus Cristo
meninas que lancham cola
almoçam crack
e jantam coca
corações mercadejados de abandono
prostitutas de luxo
transbordando falso amor
te comunico corpos secos na cadeia
uma fábrica de bandidos
onde a matéria prima são bebês.

E ainda te digo Santo Cristo
Que ladrões de calções falhos foram presos
pelo poder concentrado de piores ladrões
eu te comunico a mentira
a inveja e a maldade
o ódio disfarçado às peles negras
e um salário de escravos
num mundo de Prometeus.

Eu te comunico a paisagem fedorenta
de homens descarnados
e mulheres judiadas
que ainda rezam para Cristo
num canto de torpor
de súplicas e clamor
sobre tábuas de pavor.

Eu te comunico Cristo Jesus
que aqui homens ricos
rezam aos domingos
matam na segunda
destroem na terça
prevaricam na quarta
corrompem na quinta
se divertem na sexta
e no sábado regozijam
do que ainda vão fazer.

Eu te comunico Jesus Cristo
tantas famílias desgastadas
e os filhos do lixão
da sarjeta e do abandono
eu te comunico homens sem norte
mulheres sem rumo
e crianças sem lar
a esperança decadente
onde futuro não há.

Eu te comunico Cristo Jesus
o corpo em carne viva
o cerne retorcido em osso
olhos de dor esbugalhados
bocas de cancro esfomeadas
e as lágrimas a rolar de teimosia
dos pobres crucificados
em caçambas de torpor.

Eu te comunico o riso fácil
dos que comem nossa fome
respiram nosso ar
e multiplicam nossa dor
não deixando nada puro
nem pra nós
nem pro futuro.

Eu te comunico Jesus Cristo
no ballet de sangue a rodopiar
a raiva
a fome
a humilhação
o dinheiro sujo
e as mortes sangrentas
pra que disto Ele saiba
e que aos seus Ele proteja
pois tudo o que aqui digo
e que a ti comunico
ofende aos filhos e filhas do Teu Pai.

Um comentário:

Evilene disse...

Tudo verdade verdadeira. Profundo...pra refletir msm. Beijinhos,
Evilene